terça-feira, 2 de agosto de 2011

PRAIA CANSA

Metade Bahia, metade Ceará. Férias, julho 2011.


"Tchau, Fortaleza bonita! Tchau, jegue! Tchau, dunas! Tchau, areias coloridas!"

Foi assim que algumas crianças se despediram das férias no momento do avião decolar. Rindo, certifiquei que há mais crianças nos voos durante o recesso escolar que nos buffets infantis.

Não é fácil retomar a vida depois de 15 dias no Nordeste. O bronzeado some em horas, as olheiras reaparecem e trocar as havaianas pelos sapatos é tarefa árdua. Bate aquela depressão! É como se o corpo chegasse primeiro. Letargia. Depressão pós férias.

Dessa vez comecei na Bahia e terminei no Ceará. Brinquei bastante de ser rica e agora volto para o tronco.

Tchau, lagostas! Tchau, Moet & Chandon! Tchau, sol com brisa! Tchau, piscina de frente pro mar!

Não assisti TV. Li e dormi menos do que eu gostaria, mas comi e bebi mais do que eu deveria. Ao menos consegui evitar o e-mail do trabalho.

Praia cansa. É sério! Um dia de areia, mar e sol e vou pra cama cedo. Prefiro isso às noitadas. Porque férias na praia, pra mim, é de dia. E poucas coisas me fazem mais feliz que o entardecer na praia. É quando o meu lado atéia olha para o céu alaranjado e diz: Obrigada, Senhor! --> gesto que copio do meu querido amigo Dodô!

Dormir com o barulho do mar é mesmo um privilégio. E acordar com a certeza de um lindo dia de sol é outro maior ainda.

Agrada-me também a possibilidade de "não fazer nada". Pois bem, conseguir algumas horinhas pra fazer nadica de nada, pra mim, é muita coisa!

Na Bahia, na primeira semana, eu e a minha pequena sobrinha empinamos pipa, pulamos onda, brincamos de castelo na areia, vimos tartarugas e macaquinhos, desenhamos, fizemos diário de viagem e lemos histórias na hora de dormir. No Ceará, na segunda semana, matei a saudade das primas, ouvimos 500 mil vezes o cd novo do Chico, conversamos, brindamos e comemos horrores… Encontrei velhos amigos, fiz novos, comprei pequenos mimos e aproveitei um tempo sozinha para caminhar na praia e fotografar.

Agora, sem dúvida, o maior indicador de que estava tudo muito bom foi não ter sentido saudade de casa. Talvez não tenha dado tempo, é verdade. Mas o fato é que eu voltei porque tinha que voltar. Trabalhar, pagar as contas, tocar a vida. Pois é, ser adulto cansa! E cansa muito mais que praia!

2 comentários:

Maria Claudia disse...

Vi um poste seu no site mulheres de 30 e me impressionou o nome do seu blog, então xeretando vi seu relato de férias e me deu uma ponta de inveja e saudade do meu Ceará ... bjos

Ivy Timo Rocha disse...

Oi Vanessa
adorei o seu perfil...
beijos e boa semana