quinta-feira, 2 de abril de 2009

CORUJICE SEM FIM

Duas da minha sobrinha Lívia* dessa semana:
*
Ela, apontando para a TV, no momento em que apareciam imagens da Disney:
- A Díneis tia Van! A Díneis!
*
Depois, em meio a contação de uma longa história elaborada por ela sobre a barata, a chuva e seus pais:
- Daí tia Van, a barata era fedida!
- Como você sabe que a barata era fedida? Você cheirou a barata? Eu nunca cheirei barata!
- Era fedida e pronto, tia Van.
Mais algum blá, blá, blá, e para finalizar a história...
- E aí, eu, a mamãe e o papai também "foram" felizes para sempre.
- A barata também foi feliz para sempre?
- Aaaah tia Van...
*
*
* Lívia está agora com dois anos e "quase" cinco meses. Faz balé, judô, inglês, adora fazer bico anunciando ANTES que está brava, e sonhou ontem com o coelhinho da Páscoa. Comeu brigadeiro escondido dia desses, e apesar da insistência da mãe, não contou pra ela quem deu. Disse que é segredo, que não pode contar! Eu JURO que não fui eu! Sou tia-coruja, melosa, que adora provocá-la, mas cumpro as regras, e a regra é clara: nem doces, nem chocolates! Ai, ai, ai... Ainda bem que estarei beeeem longe na Páscoa!

10 comentários:

nora disse...

fofa ela. e adorei as perguntas que vc fesz á pequena.
dez, sim, chocolate de vez em quase nunca. ainda mais com 2 anos.
bjs

Sileda disse...

Ahahahah..... a história da barata foi realmente muito engraçada e ainda mais com o final.
Quanto aos chocolates, Páscoa.... eu ja comprei um coelhinho pra ela, chocolate nem pensar....
...e ontem fomos a Livraria Cultura e ela adorou ficar na barriga do dinossauro...pra sair tivemos que procurar outro dino...risos... ela falava, "vamos da uma molhadinha"...
Bjs. Tia

Renata disse...

Criança é tudo de bom, né?
O João saiu da fralda neste fim de semana. Foram apenas 2 dias de treino pra pedir pra usar o penico. Estou orgulhosíssima!
Mas não dar brigadeiro pra pequena, será que não vai atiçar mais a vontade de comer doce e chocolate? O proibido é tão mais gostoso, não é?
Evitar é indispensável, a meu ver, mas dar de vez em quando, acho que não faz mal...
Enfim, cada um ensina do jeito que acha melhor.
beijos.

Arnaldo disse...

Por que é que não pode dar chocolate? Essa eu não entendi. O que faz mal é passar vontade!

Gabriela disse...

Olá Vanessa,
Vejo que você fez uma postagem linda falando da corujisse com sua sobrinha e todo mundo se apegou ao detalhe do chocolate. Pessoas, criança de dois anos não precisa de doces e chocolates. Então me digam pra que oferecê-los? Evita-se em casa porque na rua ela vai comer. E você como super tia tem mais é que cumprir as regras. Parabéns!

Andréa disse...

corujice não tem fim mesmo!!!
ela é uma fofa!!
que bom que temos a leveza das crianças!

Rodrigo disse...

Imitando sua amiga Karen, queria ser seu sobrinho. Ou não...

Michelle disse...

kkkkkkkkkkkk
que maravilha!!!!
Quanto ao brigadeiro...
voto na vovó ou na tia-avó!
rs
beijos

Vanessa Dantas disse...

Oi Nora! Pois é, adoro questionar, provocar a pequena!

Oi tia! Ela me contou do passeio no shop Bobão (shopping Bourbon)... E também que foi nos bichos (zoológico). Ela tá cada dia mais gostosa. A mama (vovó mais que coruja) me ligou hoje contando da brincadeira da estátua - que ela não parava de rir e a Lívia só falava "a vovó pedeu"!

Renatinha, parabéns pelo super João! Que golaço, hein?! Pois é, enquanto não tenho filho, cumpro as regras, mas a verdade é que admiro muito a forma como minha cunhada e meu irmão educam minha sobrinha, em tudo, inclusive na alimentação! Mas cada um sabe do seu...

Arnaldo! Ela é muito pequena! E só passa vontade se conhece...

Perfeito, Gabriela! "Evita-se em casa porque na rua ela vai comer". É isso!

Andrea, a Lívia há muito passou a ser meu melhor remédio para os dias tristes! É tudo!

Pois é Rô, a Kareen sempre fala isso, ou melhor, que quer ser minha afilhada! ;o)

Ih Micha! Acho que errou! Nós três cumprimos as regras meeeeesmo! E o Arthur, come chocolate?

Beijo grande para todos!

michelle disse...

Que legal que cuprem as regras!!!!
Arthur como de vez em quando. Quando está na rua sempre tem alguém que oferece, ás vezes Gi permite "só um pouquinho", outras não. Mas nem sei o critéio de decisão dela. Sei que temos que perguntar se pode. rsrs
beijos